Periodicidade dos inventários

Periodicidade dos inventários

Uma dúvida recorrente na maioria das empresas é Qual a periodicidade para realizar inventários?
Não e tarefa fácil responder esta pergunta, primeiro por não existir receita pronta, ou seja, as práticas usadas pela empresa de fulano não quer dizer que terão o mesmo efeito na sua empresa. Seja em aspectos positivos ou negativos, podem existir processos que não foram bem sucedidos na empresa de fulano que podem ter um ótimo resultado na sua empresa.
O segundo ponto é que só podemos identificar qual será a periodicidade do inventário após executar um inventário. Como assim?
Você só consegue definir qual será sua necessidade quando realizar seu inventário, pois apenas ele identificará qual o ralo e quais os esforços necessários para controla-los.
Existem os inventários rotativos e os inventários totais, sempre quando realizamos um inventário total temos uma realidade da empresa, sabemos quais os produtos com maior índice de perdas e seus departamentos, justamente nesse momento entram os inventários rotativos, para quebrar os inventários e com isso poder focar em determinados itens que mais tiveram quebras no inventário total.
O inventário rotativo possibilita a aferição e o acompanhamento do resultado das práticas adotadas para o controle dos produtos em questão.
Com relação a inventários totais, os supermercadistas ficam na maioria entre Mensal com 33,3%, anual com 27,8% e Trimestral com 22,2% como aponta a primeira pesquisa da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, pesquisa essa realizada pelas empresas integrantes da Comissão de Prevenção de Perdas, auditoria, e Gestão de Riscos. Com relação a rotativos o ciclo é sempre menor, temos 37,5% das empresas realizando diariamente e 25% mensalmente, o que corresponde pela maioria.
Outro número importante da pesquisa é do segmento de drogarias, onde 50% das empresas realizam inventários totais a cada semestre, 33% trimestral e 17% mensal.

Clique Aqui e baixe Pesquisa de Perdas da SBVC

O ideal é identificar sua necessidade, se você tem um programa de prevenção em fase de implantação é fundamental ter ciclos menores, então nesse caso aconselho você a realizar inventários ao menos a cada três meses, no entanto se já está em fase de consolidação do programa então você já pode começar a aumentar o ciclo de inventários totais, ao invés de 4 inventários ao ano faça três e no ano seguinte dois, tudo depende do amadurecimento da área dentro da empresa e claro do resultado, se o índice aumenta, fica difícil aumentar o ciclo.
Os rotativos por sua vez é o que vai dá um norte nos controles aplicados no dia dia, não podemos simplesmente esperar por três meses para mensurar se uma atividade está dando resultado. Podemos realizar inventários rotativos semanais nos produtos com maiores divergências.

“Sem o inventário rotativo não existe eficiência no inventário total”

Faça sua própria analise, e veja qual modelo pode adequa-se a sua necessidade, o que não podemos é deixar de analisar, você deve dedicar-se muito ao processo de análise de resultado, não adianta só contar, encontrar divergência e gera o acerto gerencial só pensando no setor comercial, você deve entender o Porquê ocorreu a quebra? Qual a falha dentro do processo e onde podemos trabalhar para que isso não ocorra novamente.

Lembre-se o papel da prevenção de perdas é antecipar-se as mudanças. Aproveite e compartilhe esse artigo e deixe seu comentário.

Related Posts

Facebook Comments