Quebras Operacionais – Reposição e Exposição de Produtos

Quebras Operacionais – Reposição e Exposição de Produtos

Olá a todas. O processo de Reposição e Exposição de mercadorias se assemelha com o de Armazenamento em alguns pontos, no entanto tem um diferencial que pode impacta no resultado da loja, o Cliente.

Em nosso Estoque o acesso é apenas de funcionários autorizados, com isso podemos estabelecer através de normas e procedimentos responsabilidades, segregações de funções e outras condições básicas para o setor de Prevenção de Perdas.

No entanto na loja, o Processo se torna mais difícil, por conta do fator externo.

O Cuidado deve começar no momento em que o nosso funcionário vai até o estoque ou mesmo aéreo como funciona em algumas lojas. Como no processo de armazenamento as mercadorias já foram alocadas respeitando o PVPS, e ai que entra outro fator importante, em qualquer empresa tudo deve funcionar como uma catraca, onde cada pino deve estar perfeito, do contrario o processo pode fracassar.

Com isso quando o Repositor de Mercadorias ao retirar os produtos do estoque não corre o risco de retirar o produto com shelf life mais longo, no entanto outros cuidados também devem ser tomados no momento da retirada da mercadoria e do transporte da mesma até a loja.

Primeiro o Repositor não deve usar caixas armazenada na parte inferior das torres como escada, subindo na mesma e prejudicando com isso os produtos. Deve utilizar escada, ao retirar das longarinas ou prateleiras jamais jogue ao chão, lembre-se que produtos podem ser quebrados.

Ao colocar as mercadorias nos carrinhos de reposição, tome muito cuidado, verifique as especificações que contem na caixa, pois se você colocar uma caixa de extrato de tomate abaixo de uma caixa de óleo de soja poderá com isso estourar um ou mais produtos. Tenha sempre bom senso não exceda o peso do carrinho, evitando assim o desgaste ou quebra e até mesmo evitando acidentes.

No momento da exposição lembre-se que a gôndola e/ou móvel devem respeitar as condições do produto, atendendo as políticas comerciais e de prevenção de perdas para que a manipulação realizada pelo cliente não se converta em quebra. Algumas práticas podem ser adotadas como:

  • Retire o produto da gôndola e faça a limpeza da mesma, não esqueça que para cada tipo de categoria existe um tipo de limpeza;
  • Antes de reabastecer a gôndola faça o PVPS – primeiro que vence primeiro que sai;
  • Limpe também o produto antes de abastecer, a limpeza é de acordo com cada produto, produtos empoeirados não vão atrair seus clientes e ainda geram imagem negativa do estabelecimento e é bom lembrar que o fabricante do produto, esteja atento a este aspecto, pois já vi casos em que, funcionários não limpavam produtos de uma determinada marca, para receber benefícios de outra marca. Muitas vezes acontece em conluio com seu superior, portanto faça tour na loja verificando;
  • Certifique-se de que todos os produtos que estão sendo expostos tenham as especificações do fabricante, assim como rotulagem completa, data de fabricação, validade e lote;
  • Jamais coloque produtos em não conformidade, produtos amassados, vencidos, rasgados, fermentados, furados e outros tipos de avaria, não podem ser comercializados;
  • Abasteça respeitando a categoria ou o tipo de cada produto, não faça um ponto extra de sabão em pó no setor de matinais, até porque é proibido;
  • Não expor mais do que o especificado pelo fabricante, ou mesmo, mais do que cabe em gôndola. Atrapalhando assim a retirada do produto pelo cliente, assim como facilitando a quebra. Exemplo clássico disso é colocar pilhas com três ou até mais latas de leite na gôndola superior da seção, o que ocasionará a queda do produto e amasso na lata, gerando assim a quebra.
  • Cuidado com a exposição de produtos de alto valor agregado e frágeis deixe-os sempre em gôndolas de altura intermediaria, pois é o meio termo encontrado. Se o mesmo for exposto em uma gôndola muito alta, dificultara a sua retirada possibilitando assim a sua quebra, e muito baixa, carrinhos e até mesmo crianças podem quebrar. Como eu disse ache o meio termo.

Um ponto crítico é a degustação de produtos. Mas vai ser o assunto do nosso próximo artigo, agradeço a todos, pelas visitas no blog, mas peço que cometem em nossos artigos, façam sugestões de artigo pelo e-mail contato@balbino.info , curtam nossa pagina no Facebook e compartilhem, precisamos divulgar a Cultura de Prevenção de Perdas.

Peço que leiam os artigos da série – Quebras Operacionais

Quebras Operacionais – Recebimento de Mercadorias

http://balbino.info/prevencaodeperdas/quebra-operacional-recebimento-de-mercadorias/

Quebras Operacionais – Armazenamento

http://balbino.info/prevencaodeperdas/quebras-operacionais-armazenamento/

Related Posts

Facebook Comments