Rupturas no Varejo

Rupturas no Varejo

Tudo começa quando o cliente entra no estabelecimento disposto a comprar, mas não encontra o artigo desejado. Não pense que a ruptura é um fantasma desse ou daquele segmento, pois a questão é geral.

Lembre-se que ao deixar de vender o varejista perde a fidelidade espontânea do cliente e parte da credibilidade conquistada durante muito tempo. O que não é nada positivo em nossa área cada vez mais competitiva.

A ruptura para quem ainda não conhece o termo significa um evento onde um varejista experimenta uma demanda por um item que não esta disponível no estoque. É importante deixar claro que a situação de rupturas é prejudicial tanto para o varejista mais também para o fabricante do produto. O difícil é conseguir mensurar.

O consumidor quando encontra uma ruptura, ou melhor, quando não encontra o produto desejado na loja pode tomar algumas decisões como:

  1. Substituir o Item – Algumas vezes o mesmo deseja uma marca em especial e quando se depara com a ruptura resolve então levar outra marca;
  2. Adiar a Compra do Item – Alguns clientes que resolvem deixar pra voltar no outro dia, às vezes até entra em contato com algum funcionário e procura saber quando o item estará disponível, neste caso temos um cliente já fidelizado;
  3. Sai da loja e desiste da compra – Este cliente é a aquele que se estiver com o carrinho cheio, deixa as compras por conta de algum item que esta em falta;
  4. Procura o item em outra loja – Este é aquele que faz a compra e os itens que estão em falta ele compra no concorrente, eu me encaixo neste nicho;
  5. Não compram o item novamente – Neste caso o cliente perde a confiança na marca, pois normalmente para chegar a este nível não é a primeira vez que o mesmo esta em falta.

No entanto no varejo com margens decrescentes, é de suma importância, tanto para o varejista como para o fabricante, garantir que o produto certo esteja disponível na hora certa no lugar certo.

Outra preocupação é o numero de SKUs cada vez maior, dificultando assim a gestão de estoques, uma pesquisa realizada pelo grupo de gerenciamento por categorias da ECR Brasil em 2009 diz que em um Supermercado médio tem em média 25.000 SKUs.

Temos diversas causas para as rupturas, entre as principais estão: Frequência de compra do produto; Grande número de SKUs; Informações imprecisas do ponto de venda; Problemas de previsão e Pedidos; Pessoal insuficiente ou pessoal ocupado; Retaguarda congestionada ou desorganizada; Registros imprecisos; Reabastecimento de gôndola ineficiente (reposição); Falta de espaço na gôndola; Quebra do produto devido a dano; Furto; Procedimentos incorretos nos centros de distribuições; Promoções; Transporte; Recebimento e Armazenamento em CDs, Longo tempo de reposição e Fornecedores que não cumprem prazos.

Com base em pesquisas realizadas pela Gruen ET AL pode-se concluir que de 70 a 75% das causas de rupturas são resultado direto das praticas de loja de varejo, que incluem previsão, pedido e gôndola. Sem falar que quase metade ou no caso 47% das rupturas ocorrem nos processos específicos de previsão e pedido das lojas.

Mesmo sabendo que os dados das pesquisas globais são relevantes, não podemos considerar estas causas válidas para todas as lojas, pois as mesmas variam muito entre os países e regiões, pois vários fatores influenciam de forma significativa o desempenho da operação.

É importante que o varejista conheça seus procedimentos para identificar assim seus problemas específicos, não é apenas conhecer os números globais.

A ruptura deve ser tratada pela raiz e para tal temos que levantar todos os dados possíveis, seja atraves de entrevistas com os principais envolvidos. Com ajuda também do seu sistema de gestão ERP para conseguir levantar a incidência de rupturas.

Não esquecendo um dos principais processos que é o acompanhamento em campo, onde você deve ir verificar a gôndola e o estoque, a fim de auditar o item e saber se a informação virtual esta em conformidade com a informação física. Com estes passos você já consegue identificar as rupturas.

“Produto com venda zero é forte indicador de rupturas”

É importantissimo após identificar a ruptura, identificar quais as ações para redução das rupturas, não esquecendo que as mesmas devem ter prioridade, como eu sempre digo não se pode atirar para todos os lados. E avalie o resultado, acho que este passo é importantissimo para a manutenção do seu trabalho que será continuo.

Algumas empresas que já tem um alto nível de maturidade consegue acompanhar suas rupturas confrontando o sortimento cadastrado de cada loja e cd com a posição de estoque registrado em sistema, no entanto como relatado a empresa deve ter um nível alto de maturidade para utilizar esse processo.

Para a maioria dos varejistas eu sempre aconselho buscar profissionais qualificados, ou melhor, uma empresa preparada.

A Contagem dispõe de um serviço chamado Inventário de Ruptura no qual você pode descobrir o valor de sua perda oriunda das rupturas, o índice de ruptura é altíssimo e ultrapassa 8% em empresas com um nível médio de maturidade.

Em poucas horas você consegue ter um levantamento e poder mensurar quanto você perde por conta das rupturas, não necessita de nenhuma preparação especifica e o principal pode ser feito durante o expediente comercial, ou seja, com a loja em pleno funcionamento.

Com as informações do Inventário de Ruptura da Contagem é possível ter um diagnostico preciso da sua empresa. Com o diagnostico você pode trabalhar os pontos abordados neste artigo. Conheça a Contagem empresa que une experiência e know-how a equipamentos de ultima geração e profissionais qualificados para assim prestar excelentes serviços.

BannerRuptura728x90

Em breve falaremos mais sobre Rupturas, até porque este assunto ainda dá muito pano pra manga. Um forte abraço a todos!

Related Posts

Facebook Comments